Portuguese PT English EN Spanish ES
Primeira infância: abertas inscrições para seleção de pesquisadores

Estão abertas as inscrições para seleção de profissionais que têm interesse em trabalhar na execução da pesquisa “Diagnóstico da situação de atenção às crianças na primeira infância no Sistema de Justiça brasileiro”. Serão escolhidos 18 pesquisadores, a serem contratados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O objetivo do trabalho é cruzar dados e informações para subsidiar as ações do Pacto Nacional pela Primeira Infância. A pesquisa qualitativa utiliza metodologia comparativa e foi desenhada de forma a garantir representatividade regional, observando-se o porte dos municípios, a taxa local de violência, a taxa de congestionamento, a existência ou não de varas exclusivas, regiões de fronteira, entre outros indicadores.

“A realização de um diagnóstico nacional implicará esforços inéditos de levantamento de dados e informações, principalmente de natureza qualitativa, que exigirão o empreendimento de pesquisa de campo para realização de observações, entrevistas e análises de processos judiciais. Além disso, exigirá o conhecimento especializado nas diversas temáticas tocantes às infâncias a serem estudadas”, detalha o edital de seleção.

Serão formadas duas equipes: uma de análises quantitativas (11 vagas) e outra de análises qualitativas (7 vagas). Serão contratados: um coordenador, quatro pesquisadores sênior, quatro pesquisadores assistentes e dois auxiliares de Pesquisa que comporão a equipe responsável pela análise quantitativa e deverão organizar as bases de dados e os registros administrativos existentes, na forma de bases de dados comparáveis. Esses dados poderão ser complementados com produção de informações no nível de tribunal ou serventia judicial, por demanda do CNJ. Para saber mais sobre as vagas e enviar o currículo, clique aqui.

A partir do dia 15 de janeiro, serão oferecidas sete vagas para realização das pesquisas de campo. Os consultores selecionados comporão equipe responsável pela análise qualitativa. Eles deverão elaborar a produção de dados em campo, utilizando-se de metodologia comparativa.

Pacto

O Pacto Nacional pela Primeira Infância, firmado neste ano entre o CNJ e diversos atores que integram a rede de proteção à infância no Brasil, e que já possuía 66 signatários, recebeu a adesão de mais 35 entidades parceiras na Região Sudeste, incluindo entidades públicas e privadas, durante a abertura do Seminário do Pacto Nacional pela Primeira Infância – Região Sudeste, em dezembro do ano passado. O propósito do Pacto é estimular a elaboração de políticas públicas para as crianças em sua primeira infância, que é a fase em que estão mais vulneráveis.

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

A
Fechar Menu