Judiciário maranhense une mais de 700 casais em solenidade coletiva

You are currently viewing Judiciário maranhense une mais de 700 casais em solenidade coletiva
Compartilhe

Setecentos e cinquenta casais participaram da 3ª edição do projeto Casamento Comunitário, no Quinquagésimo Batalhão de Infantaria e Selva (50º BIS), em Imperatriz. A cerimônia reuniu autoridades locais, servidores do Poder Judiciário e pessoas da comunidade. A celebração dos matrimônios – promovida pela 2ª Vara da Família da comarca, em parceria com o comando local do Exército e a prefeitura municipal – foi aberta pelo presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Cleones Cunha. O desembargador José Bernardo Rodrigues representou a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Anildes Cruz, na cerimônia, que foi coordenada pelo juiz Adolfo Pires da Fonseca Neto.

“A festa é de todos, do Poder Judiciário e da comunidade. A maioria já está casada de fato, mas este projeto é uma oportunidade de oficializar estas uniões de acordo com a lei. Rogo que sejam muito felizes e peço aos noivos e noivas que constituam famílias felizes”, declarou o presidente do TJMA. 

Na cerimônia, foi prestada uma homenagem ao desembargador Jorge Rachid, idealizador do projeto Casamento Comunitário no Judiciário do Maranhão. A homenagem incluiu a projeção de um vídeo institucional. “Quando surgiu a ideia deste projeto, eu não acreditei. Mas desde a primeira edição, a iniciativa mostrou-se necessária, quando reuniu 250 casais, em praça pública, no ano de 1999, em São Luís. Eu faço um agradecimento especial, em nome dos mais de 100 mil casais que já oficializaram a união nos casamentos comunitários”, ressaltou o presidente do TJMA.

Presente na cerimônia, o ex-presidente e ex-corregedor do TJMA, desembargador Jorge Rachid, agradeceu a homenagem e aproveitou para parabenizar os casais participantes. “Há um dito popular que quem casa nos casamentos comunitários não separa, então desejo muitos anos de matrimônio aos nubentes”, enfatizou.

Cerca de 17 magistrados e três juízes de paz participaram da cerimônia de oficialização da união dos casais. Prestigiaram também o evento o diretor do Fórum de Imperatriz, juiz Marco Antonio de Oliveira, autoridades militares, políticos e advogados, entre outros.

Casamentos – Os noivos mais idosos, Raimundo Ribeiro Silva, de 84 anos, e Romilda Livramento da Silva, de 60 anos, foram casados pelo juiz Jocelmo Sousa Gomes. Juntos há 15 anos, o casal recebeu o apoio dos filhos gerados de relações anteriores para oficializarem a união. “Eu sou lavrador e fui eu quem tomou a iniciativa de fazer o convite para ela morar comigo. Meus onze filhos gostaram da ideia”, revelou o noivo. “Meus quatro filhos me apoiaram bastante, diziam que eu precisava de um companheiro e assim ele tem sido, por isso resolvemos oficializar”, contou a noiva.

Felipe Costa Santos e Sabrina Santos foram os mais jovens da cerimônia. Ambos com 17 anos, foram casados pelo juiz Angelo Santos, da comarca de Açailândia, atual vice-presidente e presidente eleito da Associação dos Magistrados do Maranhão. “Estamos em mais uma etapa dos casamentos comunitários. O casamento continua uma instituição forte e abençoada, eis que se casa muito mais do que se divorcia. Digo isso com a firmeza de ser um juiz de Vara da Família”, revelou o juiz Adolfo Pires da Fonseca Neto.

Projeto – O projeto Casamentos Comunitários foi instituído pela Corregedoria-Geral da Justiça do Maranhão no ano de 1999, na gestão do então corregedor Jorge Rachid. Destinado a pessoas de baixa renda, o projeto já possibilitou a oficialização de mais de 100 mil uniões em todo o estado. Todos os atos de registro civil necessários à realização dos casamentos são gratuitos para os noivos, que são dispensados do pagamento das taxas referentes às despesas cartorárias.

Fonte: TJMA