Portuguese PT English EN Spanish ES
. . . . . .
Justiça do Trabalho: Pesquisa avalia trabalho remoto na 8ª Região durante pandemia
Justiça do Trabalho: Pesquisa avalia trabalho remoto na 8ª Região durante pandemia
Arte: TRT8

O Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8) apresentou os resultados da pesquisa “O Teletrabalho durante a pandemia da Covid-19: uma avaliação no Tribunal Regional do Trabalho da Oitava Região”. O objetivo do estudo foi avaliar os impactos do trabalho remoto na rotina laboral de magistrados e servidores, além de identificar as características da rotina e do processo de adaptação ao teletrabalho compulsório, decorrente da pandemia do novo coronavírus.

Realizada em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), a pesquisa analisou tempo de trabalho, móveis, equipamentos e tecnologias empregadas e ouviu um total de 339 técnicos e analistas judiciários e 49 juízes e desembargadores do trabalho. Os resultados mostram que o trabalho remoto trouxe benefícios para instituição, trabalhadores e sociedade.

As principais contribuições observadas foram a economia de recursos pessoais, otimização do tempo destinado às atividades, criação de melhores condições para execução do trabalho, maior capacidade de divisão do tempo destinado à vida pessoal e profissional, redução de impactos ambientais e maior segurança sanitária para trabalhar durante a pandemia, pois além de reduzir os riscos de exposição ao vírus, o teletrabalho permitiu aos servidores contribuir diretamente para o distanciamento social recomendado pelos órgãos competentes.

Entre os desafios a serem superados, estão a redução das interações sociais, o surgimento de conflitos trabalho-família, a perda de oportunidades de crescimento profissional, além de um possível menor envolvimento do indivíduo com a organização e prejuízos à saúde física e mental dos trabalhadores. Para garantir melhores resultados organizacionais e qualidade de vida aos servidores e servidoras envolvidas no trabalho remoto, os organizadores da pesquisa propuseram a realização de campanhas internas para melhorar a gestão do tempo e mudanças estruturais na gestão de pessoas e na forma de organizar o trabalho.

Após apreciação da presidência do TRT8, o relatório elaborado pela Comissão de Gestão do Teletrabalho foi encaminhado à Coordenadoria de Gestão Estratégica, responsável pela realização dos diagnósticos institucionais. Os resultados desse estudo vão subsidiar a elaboração de futuras pesquisas do Diagnóstico Institucional nos próximos seis anos, referentes ao período do novo Planejamento Estratégico 2021-2026.

A Comissão de Gestão do Teletrabalho do TRT8 é presidida pelo Juiz do Trabalho Substituto Dr. Deodoro José de Carvalho Tavares, contando com a participação dos servidores Úrsula Custódio Gomes, Celso Tomaz Ribeiro, Maria Helena Tavares da Silva Guerra e Antonio Augusto Ferreira da Mota. Coordenaram a pesquisa pela Universidade Federal do Pará o professor doutor Carlos André Corrêa de Mattos e a mestranda em Gestão Pública Bianca Suelem do Nascimento Franco.

Acesse o relatório da pesquisa

Fonte: TRT8

A
Fechar Menu