Portuguese PT English EN Spanish ES
Tribunal do Amazonas conclui curso sobre Justiça para profissionais da imprensa
Tribunal do Amazonas conclui curso sobre Justiça para profissionais da imprensa
Foto: Chico Batata/TJAM

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) concluiu na segunda-feira (29/9) o “Curso de Aperfeiçoamento: Justiça e Mídia”. Com dez módulos, sendo quatro por meio de videoconferência, o curso foi iniciado em outubro de 2019 e, durante nove meses, juízes; servidores do TJAM e integrantes do sistema de Justiça puderam trocar experiências com jornalistas que atuam na cobertura das ações do Poder Judiciário Amazonense.

Organizado pelo TJAM com o apoio e a colaboração da Escola Superior de Magistratura do Amazonas (Esmam) o curso foi coordenado pelo juiz auxiliar da presidência do Tribunal, Alexandre Henrique Novaes, sendo uma iniciativa da Divisão de Divulgação e Imprensa da Corte. Os profissionais da imprensa tiveram acesso a dezenas de temas, entre os quais: “Direito de Família”; “Violência contra Mulheres”; “Juizados Especiais Cíveis e Criminais”; “Direito do Consumidor”; “Mediação e Conciliação”; “Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes”; “Juizados da Infância e Juventude”; “Medidas Socioeducativas”; “Justiça Itinerante”; “Poder Judiciário no Interior” e outros.

No último módulo, realizado por videoconferência na última segunda-feira, participaram como ministrantes os magistrados Elza Vitória de Mello e Alexandre Novaes (ambos juízes auxiliares da presidência do TJAM); o defensor público Rafael Barbosa; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB/AM), Marco Aurélio de Lima Choy; e o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Amazonas (Anoreg/AM), Marcelo Lima Filho.

O encerramento contou com a presença do presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões; do presidente da Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon) e juiz auxiliar da presidência do TJAM, Luís Márcio Nascimento Albuquerque; além de uma participação (por vídeo) do secretário de Comunicação Social do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Rodrigo Farhat Camargo.

Interação

O presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões participou do encerramento, elogiou os jornalistas pelo empenho; busca de conhecimentos e participação expressiva nos dez módulos ministrados, comentando que a perspectiva do Tribunal, ao promover esse curso, até então inédito no Amazonas, foi levar informações para auxiliar a cobertura diária dos jornalistas. “O curso foi preparado com muito critério e buscou levar informações relevantes aos jornalistas, de modo a auxiliá-los em seus ofícios como comunicadores sociais. Considero, da parte do Tribunal, uma iniciativa importantíssima, abrindo suas portas aos formadores de opinião e fortalecendo a imprensa, que consideramos fundamental para o fortalecimento da democracia”, afirmou o presidente do TJAM.

Além de prestar apoio ao curso, o presidente da Amazon, juiz Luís Márcio Nascimento Albuquerque, atuou como ministrante levando aos inscritos seus conhecimentos em várias áreas do Direito, sendo uma delas o Direito do Consumidor, no qual é especialista. “Participei em vários módulos e vejo com muito entusiasmo a integração do Poder Judiciário com os jornalistas. Observando o relato dos profissionais da imprensa que dele participaram, tenho a firme certeza de que os objetivos foram alcançados”, disse o magistrado.

O coordenador do curso e juiz auxiliar da presidência do TJAM, Alexandre Novaes, agradeceu às instituições que colaboraram com formação e comentou que o Tribunal muito se alegra em poder ter contribuído com a formação dos profissionais que dele participaram. “Creio que o curso atingiu todos seus objetivos, sendo uma verdadeira pós-graduação para os jornalistas. Na verdade, foi uma via de mão dupla. Passamos alguns conhecimentos sobre o funcionamento do Poder Judiciário e do sistema de Justiça e fomos retribuídos pelos jornalistas com o conhecimento acerca de suas atividades como comunicadores sociais. Neste momento em que concluímos um extenso trabalho, agradecemos ao apoio do presidente Yedo Simões que, desde o início, acreditou na ideia; ao presidente da Amazon, juiz Luís Márcio Albuquerque; ao presidente da Anoreg, Marcelo Lima Filho; à Escola Superior da Magistratura, na pessoa do desembargador Flávio Pascarelli; e a todos os instrutores que foram extremamente profissionais ao compartilhar seus conhecimentos. De igual maneira, agradeço e parabenizo a todos os jornalistas que integraram esta turma pioneira que, com certeza, ficaram satisfeitos e levarão os conhecimentos para suas atividades”, disse o juiz Alexandre Novaes.

Para o jornalista e diretor da Divisão de Divulgação e Imprensa do TJAM, Álvaro Marcelo Corado, havia a necessidade de prestar informações acerca da função e do funcionamento do Poder Judiciário e, após várias iniciativas pontuais que já vinham sendo realizadas, surgiu a ideia de fazer diferente. Segundo ele, era necessário fazer algo muito mais completo, favorecendo, inclusive, a integração entre jornalistas e magistrados. “Os jornalistas desta primeira turma tiveram a oportunidade de conviver com magistrados com muita experiência teórica e prática e cada módulo ministrado chegava até 7 horas de duração, com debates importantes. Então, acredito que o principal objetivo da Divisão de Divulgação do TJAM foi alcançado, atuando para integrar Justiça e Imprensa e colaborar com a cobertura do Poder Judiciário, além de contribuir com a formação contínua dos comunicadores.

O curso foi destinado a jornalistas que corriqueiramente cobrem as ações do Judiciário e, muitos deles ocupam cargo de chefia em redações de Televisão, Jornais Impresso ou Sites.

Experiência e aprendizado

Aruana Brianezi é diretora de redação do Jornal A Critica e descreve sua participação no curso como uma derrubada de muros. “Além de todo o conhecimento adquirido (e reforçado), destaco, como grande valor do curso, a chance que tivemos de ‘derrubar muros’. Os profissionais do Jornalismo e do Judiciário estiveram juntos por alguns meses e essa aproximação é muito boa para a sociedade. Em um mundo em que a transparência é cada vez mais valorizada, essa ‘ponte institucional’ que estamos ajudando a erguer será muito útil”, disse Aruana Brianezi.

Outro nome importante do jornalismo amazonense, Humberto Amorim, disse que está feliz por ter concluído um curso fenomenal, sem perder uma única aula, que agregou valor informativo inédito à sua atividade profissional em jornalismo. “A profissão de comunicador para mim tem sido uma caixa de muitas e boas surpresas que abro todos os dias. Esse curso foi uma das mais gratas. Agradeço pelo convite para integrar esta turma e de forma muito especial agradeço aos mestres juízes e demais ministrantes que compartilharam as suas experiências conosco”, disse Amorim.

As palavras de Humberto foram endossadas pelo jornalista e apresentador de televisão Clayton Pascarelli. “Eu já havia feito vários cursos fora do Amazonas com o intuito de entender mais o ‘juridiquês’, no entanto esse curso foi diferenciado e, por meio dele, obtivemos conhecimentos preciosos e passamos a saber profundamente como funciona a Justiça no nosso Estado”, disse

O “Curso de Aperfeiçoamento: Justiça e Mídia” teve carga horária de 60 horas-aula e a entrega de certificados está prevista para o mês de setembro, com uma solenidade com data ainda a ser anunciada.

O curso teve 10 módulos e, em cada um, foram tratados quatro temas diferentes. Ao final, o jornalista teve uma formação completa do funcionamento do Sistema de Justiça, pois, além do Tribunal de Justiça, houve a participação de membros do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM) e da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM).

Fonte: TJAM

A
Fechar Menu