Portuguese PT English EN Spanish ES
MG arrecada mais de R$ 70 mi na Semana da Conciliação e Execução Trabalhista
MG arrecada mais de R$ 70 mi na Semana da Conciliação e Execução Trabalhista
Arte: CSJT

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT3) arrecadou, durante a Semana Nacional da Conciliação e Execução Trabalhista, R$ 70.398.464,55 em créditos trabalhistas. Somente em acordos homologados foram arrecadados R$ 24,6 milhões. Mais R$ 25 milhões vieram dos 6.017 alvarás expedidos. Outros valores somaram R$ 15,5 milhões, além de R$ 3,9 milhões em recolhimentos de Imposto de Renda e INSS e R$ 511.500 em leilões.

No total, a Justiça do Trabalho em Minas Gerais atendeu 4.880 pessoas durante os dias 24 a 29 de setembro. Foram designadas 260 audiências conciliatórias no Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas de 1o grau (Cejusc1), que resultaram em 152 acordos e R$ 10,8 milhões em valor líquido homologado. No Cejusc de 2º grau, foram 86 audiências agendadas de processos em fase de execução, com 55 acordos e um total de R$ 2,3 milhões.

O evento realizado nacionalmente pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), em parceria com o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e com os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), atendeu 286.864 pessoas e movimentou um total de R$ 1.860.607.756,08 em processos na fase de execução, que garantiram os direitos já reconhecidos em juízo e aguardavam solução definitiva. O valor é superior ao recorde anterior, atingido na edição do ano passado (R$ 1.825.027.573).

Para a presidente do TST e CSJT, ministra Maria Cristina Peduzzi, o novo recorde em valores movimentados na fase de execução demonstra a efetividade das ações concentradas. “A Justiça do Trabalho se dedica diariamente para cumprir com seu dever jurisdicional, seja prestigiando e conduzindo soluções consensuais, seja por medidas para concretizar as decisões judiciais”, disse. “O esforço de magistrados e servidores no evento foi essencial para este resultado, que vai mudar a vida de muitos trabalhadores brasileiros.”

Fonte: TRT3

A
Fechar Menu