Portuguese PT English EN Spanish ES
Participação da mulher indígena nas eleições é tema de debate virtual no Tocantins
Participação da mulher indígena nas eleições é tema de debate virtual no Tocantins
Foto: TRE-TO

Em live promovida no Instagram da Escola Judiciária Eleitoral do Tocantins, na quarta-feira (17/6), a Justiça Eleitoral do Tocantins fomentou o debate sobre a importância da inclusão sociopolítica dos povos indígenas e o papel da mulher indígena na democracia. Mediado pelo coordenador do projeto Inclusão Sociopolítica dos Povos Indígenas do Tocantins, juiz eleitoral Wellington Magalhães, o encontro contou com a participação da ativista indígena Mônica Marapara, especialista em Gestão Pública para Promoção da Cidadania e Preservação de Direitos pela Universidade Federal da Bahia.

Durante a live, o magistrado destacou as iniciativas da Justiça Eleitoral para promover a efetivação plena dos direitos de cidadania e participação política dos indígenas e frisou que a ação que coordena é um projeto permanente do Tribunal Regional Eleitoral e atua em parceria com outras iniciativas permanentes, como projeto +Mulher +Democracia, que visa fortalecer a participação feminina no processo político, e o projeto Agentes da Democracia – Formação de Eleitores para o Futuro.

Já a convidada falou um pouco sobre a sua história, compartilhou experiências e destacou os desafios que a população indígena enfrenta ultimamente, principalmente em relação à participação e representatividade política e às questões de gênero. “Venho de uma tradição em que é papel do homem nos representar, mas meu pai teve cinco filhas mulheres e diante das dificuldades buscou como alternativa nossa educação. A partir de então comecei a buscar e participar de vários movimentos em busca da defesa da autonomia e representatividade da mulher indígena. Nós mulheres somos capazes de ocupar esses espaços e de participar dos processos de escolha e poder sem que haja preconceito por sermos mulheres e indígenas”, destacou Mônica.

A indígena Iracema Xerente acompanhou a live e elogiou a iniciativa. “Nós mulheres indígenas temos todo o direito de participar e ter acesso aos serviços públicos de saúde e educação. Gostei muito da live e de ver uma mulher indígena representando e defendendo as mulheres indígenas em todo o país.”

A live está disponível no canal do TRE-TO no Youtube e ainda no Instagram da Escola Judiciária Eleitoral do Tocantins .

Fonte: TRE-TO

A
Fechar Menu