Portuguese PT English EN Spanish ES
Não ao ‘juridiquês’ integra ações do Tribunal do Acre para as eleições em 2022
Não ao ‘juridiquês’ integra ações do Tribunal do Acre para as eleições em 2022
Arte: TRE-AC

Dando continuidade ao planejamento para as eleições nacionais e estaduais em 2022, a presidente do Tribunal Regional do Acre (TRE-AC), desembargadora Denise Bonfim, reiterou a importância e a necessidade do uso de uma linguagem fácil e acessível, em todos os níveis dos planos de ações para o pleito que estão em desenvolvimento. O objetivo é melhor alcançar todo o público a quem a informação é destinada.

De acordo com a desembargadora, a medida amplia o relacionamento da Justiça Eleitoral com a sociedade, sobretudo quando trata de ações da instituição, cujo objeto é de total interesse do eleitor e da eleitora, “abolindo-se, de vez, o uso do ‘juridiquês’ na comunicação interna e externa deste Regional”. O “juridiquês” é entendido como o uso desnecessário e excessivo de termos técnicos da área do Direito.

O vice-presidente e corregedor do TRE-AC, desembargador Luis Camolez, aponta como “essencial a medida adotada pela desembargadora-presidente Denise Bonfim referente à forma de comunicação, no âmbito da Justiça Eleitoral acreana, desde o início de sua gestão, em agosto de 2019”. Segundo Camolez, além de facilitar a aproximação do cidadão e da cidadã com o Poder Judiciário, “a comunicação direta e objetiva se apresenta como uma das armas eficazes de combate à desinformação, muitas vezes camuflada por uma linguagem técnica, que, para a maioria da população, apresenta-se desconhecida”.

Fonte: TRE-AC

A
Fechar Menu