Portuguese PT English EN Spanish ES
Comissão de Gestão da Memória irá cuidar da história do Judiciário gaúcho
Comissão de Gestão da Memória irá cuidar da história do Judiciário gaúcho
Foto: Memorial do Judiciário/TJRS

A história de preservação da memória e do patrimônio do Poder Judiciário gaúcho ganha um novo capítulo. O trabalho, realizado pelo Memorial do Judiciário há 23 anos, passa a ter ainda mais relevância. Para isso, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) estabeleceu o Plano de Gestão da Memória e instituiu a Comissão Permanente de Gestão da Memória.

O diretor do Memorial, desembargador aposentado José Carlos Teixeira Giorgis, define o que representa cuidar do passado. “Documento judicial não representa apenas um meio de prova, mas um testemunho histórico importante, através de que se desvelam personagens e suas circunstâncias, eventos históricos, costumes da época, genealogias, ora em sua forma impressa original e logo também de através de digitalização.”

Os acervos documentais do Poder Judiciário constituem o patrimônio cultural e histórico do estado e vêm sendo preservados por uma equipe técnica e especializada que trabalha no Memorial do Judiciário. A nova norma atende à necessidade de dar continuidade, infraestrutura e suporte para a realização de um conjunto de ações e práticas de preservação, valorização e divulgação da história contida nos documentos, processos, arquivos, bibliotecas, museu, personalidades, objetos e imóveis do TJRS.

“A intenção é que sejam uniformizadas todas as ações de preservação, valorização e divulgação da memória do Poder Judiciário. Por isso, a nossa proposta foi que a Comissão fosse instituída pelos responsáveis por guarda e cadastro de acervos”, explica a assistente técnica do Memorial, Carine Trindade. Segundo ela, os trabalhos da Comissão serão pautados por manuais de gestão documental e da memória publicados pelo Conselho Nacional de Justiça.

A Comissão será composta por representantes do Memorial, do Arquivo, da Biblioteca, do Departamento de Magistrados e também contará com a participação de servidores do Ecojus, da Corregedoria-Geral da Justiça e da Assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça.

Fonte: TJRS

A
Fechar Menu