Portuguese PT English EN Spanish ES
Webinário discute memória do Judiciário paraense na próxima quinta-feira (24/9)
Webinário discute memória do Judiciário paraense na próxima quinta-feira (24/9)
Foto: TJPA

Memórias do Judiciário paraense: desafios na era digital é o tema de um webinário que o Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) promove, em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) e o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), na próxima quinta-feira (24/9), às 16h, no ambiente virtual da Escola Judicial.

A desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento ministra o webinário, representando o TJPA e o TRE-PA, junto ao conselheiro do Fórum Nacional Permanente em Defesa da Memória da Justiça do Trabalho (Memojutra), desembargador Luis José de Jesus Ribeiro, representando o TRT8. Na ocasião, os palestrantes abordam o trabalho de preservação da memória do Judiciário de forma geral, bem como nas respectivas instituições às quais são vinculados. Quem desejar receber certificado de participação, precisa fazer sua inscrição até o dia 23 de setembro.

Saiba como participar do evento

O evento faz parte da 14ª Primavera de Museus, que é uma ação de promoção dos museus brasileiros criada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) para mobilizar as instituições cadastradas a realizarem programações para todos os públicos. O tema geral definido para a edição de 2020 é: “Mundo Digital: Museus em Transformação”.

Para a chefe do Serviço de Museu e Documentação Histórica do TJPA, Leiliane Rabelo, “o evento busca intensificar as relações dos museus e centros culturais do judiciário com a sociedade paraense, divulgando suas ações e mostrando como estão sendo trabalhadas as demandas do judiciário neste momento, na perspectiva dos desafios de uma sociedade cada vez mais virtualizada”.

Aliado a esse panorama, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou no dia 14 de abril de 2020, a Resolução nº 316, que cria o Dia da Memória do Poder Judiciário, celebrado em 10 de maio, fazendo com que o Judiciário brasileiro coloque em pauta sua magnitude histórica e cultural.

Fonte: TJPA

A
Fechar Menu