Rosa Weber: Aperfeiçoar a Justiça é meta a ser sempre perseguida pelo CNJ

You are currently viewing Rosa Weber: Aperfeiçoar a Justiça é meta a ser sempre perseguida pelo CNJ
A presidente do CNJ e do STF, ministra Rosa Weber, abriu sessão plenária do STF com homenagem aos 18 anos do CNJ. FOTO: Nelson Jr./SCO/STF
Compartilhe

O caminho percorrido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em seus 18 anos de existência deve inspirar seus próximos passos, na avaliação da presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber. “O aprimoramento do Poder Judiciário, no âmbito do CNJ, é uma meta a ser sempre perseguida e vamos continuar nesse propósito nas futuras gestões”, registrou a ministra na abertura da 18.ª Sessão Ordinária do STF, realizada nesta quarta-feira (14/6), data em que é celebrado o aniversário de 18 anos do Conselho.

Criado pela Emenda Constitucional n. 45/2004, o CNJ foi instalado no dia 14 de junho de 2005, para atuar como órgão nacional de controle administrativo e financeiro da Justiça e de cumprimento dos deveres da magistratura. O prédio do STF, como lembrou a ministra Rosa Weber, foi a primeira sede do CNJ, sob a presidência do ministro Nelson Jobim.

A presidente também lembrou que o ministro Alexandre de Moraes fez parte da primeira composição do Plenário do CNJ, como conselheiro indicado pela Câmara dos Deputados. Já o primeiro secretário-geral da instituição foi o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, que era juiz federal, à época, e atuou como juiz auxiliar da Presidência do CNJ.

“O atuar desse Conselho, ao longo desses 18 anos, permitiu que se atingisse no Brasil um novo patamar de eficiência e transparência no Poder Judiciário”, afirmou a ministra. Ela ressaltou que o CNJ se consolidou como órgão de excelência em governança e gestão, “implementado ainda políticas públicas, em seu âmbito de atuação, que contribuíram decisivamente para a qualidade do Sistema de Justiça e para a própria cidadania em toda sua diversidade em um país plural como o nosso”.

Rosa Weber destacou que celebrar o CNJ é “honrar aqueles que o idealizaram e implementaram, referenciando também os que o fizeram e fazem crescer e frutificar”. Os ministros assistiram o vídeo institucional em homenagem aos 18 anos do CNJ, que apresentou os destaques de cada gestão dos ex-presidentes do órgão.

Leia mais:
CNJ 18 anos: Conselho amadurece atuação e transforma relação com a sociedade
Artigo: Os 18 anos do Conselho Nacional de Justiça
Em 18 anos, CNJ fortalece debate plural para consolidação de políticas judiciárias

Assista à integra do vídeo institucional comemorativo dos 18 anos do CNJ.

Texto: Lenir Camimura
Edição: Sarah Barros
Agência CNJ de Notícias

Macrodesafio - Aperfeiçoamento da gestão administrativa e da governança judiciária