Portuguese PT English EN Spanish ES
Papel da máquina de escrever no Judiciário é ressaltado pelo TRT8
Papel da máquina de escrever no Judiciário é ressaltado pelo TRT8
Arte: TRT8
Compartilhe

Por longos anos, a máquina de escrever contribuiu na efetiva entrega da prestação jurisdicional à sociedade brasileira. E essa contribuição foi destacada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8) para celebrar o Dia da Memória do Poder Judiciário, no dia 10 de maio.

O Memorial TRT8 “Juiz Arthur Francisco Seixas dos Anjos” possui em seu acervo duas máquinas de escrever. Uma foi doada em 2004 pelo ministro Orlando Costa. A segunda pertencia ao antigo museu do TRT8 e, posteriormente, foi doada para o Memorial. São relíquias memoráveis, que foram de grande valia para a Justiça do Trabalho.

A máquina de escrever – também denominada máquina datilográfica ou máquina de datilografia – se caracteriza por ser um equipamento mecânico com caracteres estruturais, como teclas, que, quando pressionadas, proporcionam a impressão de letras, números e símbolos no papel. As primeiras máquinas de escrever surgiram na segunda metade do século XIX e eram manuais e com teclas.

Posteriormente, surgiram as eletromecânicas, para diminuir o esforço e dar maior agilidade na escrita. E, então, surgiram as eletrônicas, capazes de alcançar maior velocidade e melhor qualidade de impressão, além da possibilidade de correção dos erros com fitas corretivas.

A máquina de escrever se difundiu largamente com a expansão do setor comercial e de serviços, bem como nas repartições públicas, nos bancos e escritórios, pela necessidade de uma maior rapidez e uniformidade da escrita, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social. Mas já no fim do século XX se tornou rara sua utilização, sendo substituída pelo computador, que, com processadores de texto, possibilitam efetuar o mesmo trabalho de modo mais eficiente e rápido.

O equipamento ainda é comum em algumas partes do mundo, pois é necessária para situações específicas. E continua popular em certas culturas, além de útil nos dias atuais, quando há falta de eletricidade, substituindo o computador ou o notebook.

Fonte: TRT8

Macrodesafio - Fortalecimento da relação interinstitucional do Judiciário com a sociedade

A
Fechar Menu