Portuguese PT English EN Spanish ES
. . . . . .
Biblioteca digital quer aprimorar informações da Justiça à sociedade
Biblioteca digital quer aprimorar informações da Justiça à sociedade
Parceria com STF reforça biblioteca digital do CNJ. Foto: Gil Ferreira/CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai lançar em novembro sua biblioteca digital. Nela, as pessoas poderão consultar a jurisprudência do CNJ, os estudos e pesquisas desenvolvidos pelo Conselho – o que inclui as várias edições do Justiça em Números -, além de ter acesso aos cursos de formação e capacitação. E, a partir dessa segunda-feira (19/10), conta com a parceria do Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir acesso às documentações do próprio Supremo e à rede de bibliotecas de Brasília.

A cooperação firmada entre os dois órgãos vai viabilizar intercâmbio de informações, conhecimentos específicos, bases de dados, publicações e demais atividades voltadas para estruturação e desenvolvimento da biblioteca digital do CNJ. O termo também prevê a possibilidade de acesso dos servidores do Conselho ao acervo físico da Biblioteca do STF, além do serviço de empréstimo de obras.

Para o secretário especial de Programas do CNJ, Marcus Lívio Gomes, o acordo reforça a necessária colaboração para aprimorar o Judiciário brasileiro. “O objetivo é, sempre, criar, construir em colaboração e aumentar a sinergia entre as duas instituições para prestar um serviço mais eficiente à sociedade e ao sistema de Justiça”.

O sistema de documentação do Supremo vai apoiar ainda o CNJ com informações e acesso a periódicos e jurisprudência, de forma a facilitar a formulação de políticas judiciárias nacionais e projetos dotados da mais completa rede de informações possível. “STF e CNJ sob a mesma gestão e direção, com certeza, precisam unir esforços, economizar recursos e reunir sinergia em tudo aquilo que é possível. Esse é apenas o primeiro de outros termos que serão assinados a fim de compartilhar sempre recursos, materiais, conhecimento e informação”, afirmou o secretário-geral do STF, Pedro Felipe de Oliveira Santos.

Agência CNJ de Notícias

Ouça o boletim na Rádio CNJ

A
Fechar Menu