Portuguese PT English EN Spanish ES
. . . . . .
“O pai contribui para a formação do caráter do filho”, afirma Fred, jogador do Fluminense
  • CNJ
“O pai contribui para a formação do caráter do filho”, afirma Fred, jogador do Fluminense

O jogador Fred, atacante do Fluminense, time do Rio de Janeiro/RJ, destacou a importância dos pais na vida dos filhos ao falar sobre a campanha Pai Presente, da Corregedoria Nacional de Justiça, no último domingo (12/8). A campanha, que contou com o apoio de jogadores de vários times de futebol, tem o objetivo de estimular o reconhecimento de paternidade de forma espontânea, em todo o Brasil.

“Tenho o meu pai como exemplo e como o maior incentivo de minha vida, o mais amplo. Foi um dos responsáveis pelo meu caráter, pela minha criação. Espero passar o mesmo caráter, a mesma coisa para a minha filha. Um filho é uma benção de Deus. Cuidem bem dos seus filhos, vão ao encontro deles, com muito carinho e amor. A minha filha é o maior presente que eu recebi”, acentuou o jogador, em um recado à população, ao manifestar seu apoio à campanha.

Dia dos pais – No domingo, por ocasião da comemoração do dia dos pais, jogadores de diversos times do País lançaram a campanha Pai Presente, nos principais jogos da 16ª rodada do Brasileirão e foram para os gramados dos estádios segurando faixas com o slogan “Pai Presente, o reconhecimento que todo filho espera”. Além do depoimento de Fred, também se manifestaram sobre a iniciativa da Corregedoria Nacional de Justiça Leandro Guerreiro, do Cruzeiro; Romarinho, do Corinthians; Rafael Silva, do Coritiba; e o técnico Tite, do Corinthians.

O Programa Pai Presente, criado em 2010, já possibilitou a inclusão do nome do pai na certidão de nascimento de mais de 14,5 mil pessoas. Nesse período, mais de 18,6 mil audiências foram realizadas em todo o País para assegurar o reconhecimento espontâneo de paternidade. Além dos casos em que o pai reconheceu de forma espontânea a responsabilidade, outras 23 mil ações judiciais de investigação de paternidade foram abertas nesse período e quase 12 mil exames de DNA foram realizados na tentativa de assegurar o direito dos filhos.

Provimento n. 16 – O programa é coordenado pela Corregedoria Nacional de Justiça. A fim de facilitar o procedimento de reconhecimento, o órgão editou, em fevereiro deste ano, o Provimento n. 16, segundo o qual as mães podem dar entrada no pedido de reconhecimento de paternidade em qualquer um dos 7.441 cartórios com competência para realizar o registro civil no País. Caminho semelhante pode ser seguido pelo pai que desejar espontaneamente fazer o registro do seu filho, e o procedimento é gratuito.

Manuel Carlos Montenegro e Giselle Souza
Agência CNJ de Notícias

A
Fechar Menu