Portuguese PT English EN Spanish ES
Foto mostra visão geral do Plenário do CNJ durante a 348ª Sessão Ordinária.

Resoluções ampliam iniciativas para aproximar Judiciário e povos indígenas

Medidas de atenção e promoção de acesso à Justiça para povos indígenas foram destaque na 348ª Sessão Ordinária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realizada na terça-feira (5/4). O Plenário aprovou duas resoluções que aproximam os povos originários do Judiciário. Uma institui diretrizes e procedimentos para efetivar a garantia do

Foto da bancada principal do Plenário do TSE durante o evento, estando ao centro o ministro Edson Facchin.

Ouvidoria da Mulher na Justiça Eleitoral combaterá violência política de gênero

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, lançou na segunda-feira (21/3) a Ouvidoria da Mulher da Justiça Eleitoral. Ela foi criada para prevenir e combater casos de assédio, discriminação e demais formas de abusos sofridos por pessoas do gênero feminino, especialmente a violência política. A unidade está

Foto mostra um palco com a ouvidora nacional da Mulher Tânia Reckziegel sentada ao centro, tendo duas outras magistradas do TJRS sentadas a seu lado. Ao fundo, um telão onde se lê Ouvidoria da Mulher do TJRS.

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul instala Ouvidoria da Mulher

As mulheres já podem contar com mais um canal ativo em defesa dos direitos femininos e no combate à violência doméstica. Trata-se da Ouvidoria da Mulher do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), cuja instalação oficial ocorreu na quarta-feira (16/3). A presidente do Tribunal, desembargadora Iris Helena

Foto de momento da inauguração com a visita a ambientes da Ouvidoria Nacional da Mulher.

CNJ inaugura Ouvidoria Nacional da Mulher

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) inaugurou, no dia 8 de março a Ouvidoria Nacional da Mulher. A unidade foi criada com o objetivo de informar às mulheres seus direitos, assim como ouvir, receber e encaminhar às autoridades competentes os procedimentos judiciais que se refiram a atos de violência. A

Foto do Plenário do CNJ durante a reunião, com o conselheiro Bandeira falando para o telão onde estão as pessoas participando por videoconferência.

Rede Nacional de Ouvidorias realiza 1ª reunião com foco em melhorias no serviço

A implementação da norma do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que padroniza o funcionamento das ouvidorias de Justiça foi o tema central da primeira reunião da Rede Nacional de Ouvidorias do Poder Judiciário. Coordenado pelo conselheiro e ouvidor do CNJ, Luiz Fernando Bandeira de Mello, e com a participação da

Inauguração da Ouvidoria Nacional da Mulher marca 346ª Sessão do CNJ

Será inaugurada nesta terça-feira (8/3), dia em que se comemora o Dia da Mulher, a Ouvidoria Nacional da Mulher do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O órgão funcionará na sede do CNJ, em Brasília, e será um espaço para o recebimento de informações, sugestões, reclamações e denúncias sobre a tramitação

Conselheira Tânia Regina Silva Reckziegel - Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ

Ouvidora Nacional da Mulher fala sobre pioneirismo do novo órgão da Justiça

A desembargadora Tânia Regina Silva Reckziegel, do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), foi indicada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para liderar a Ouvidoria Nacional da Mulher. Criado no dia 8 de fevereiro, o novo órgão busca contribuir para transformar o Brasil em um lugar onde as

CNJ oferece cursos para aprimoramento do trabalho das Ouvidorias judiciais

Com objetivo de melhorar os serviços prestados pelas ouvidorias dos tribunais brasileiros, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) desenvolveram uma série de treinamentos on-line (EAD) e gratuitos voltados a quem se interessar sobre diversos aspectos das ouvidorias judiciais. Os cursos apresentam tanto os

Foto mostra uma pessoa usando um tablet e na tela tem a logomarca do evento.

Seminário nesta quarta (16/2) debate assédio e discriminação no Judiciário

Mais de 55% de profissionais do Judiciário já passaram por alguma situação de assédio e quase 60%, até hoje, não se sentem seguros para realizar denúncias de assédio no ambiente de trabalho por temerem represálias. Esses são alguns resultados de pesquisa realizada no final do ano passado pelo Conselho Nacional

A
Fechar Menu