Pesquisa vai contribuir para a utilização de inteligência artificial no Judiciário

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou, na tarde desta quinta-feira (16/5), a pesquisa sobre a utilização da Inteligência Artificial Generativa (IAG) na Justiça brasileira. O 1º Diagnóstico sobre uso de IAG no Poder Judiciário, elaborado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ/CNJ), deverá auxiliar nas decisões pela Administração Judiciária sobre

Cartilhas apresentam o Programa Justiça 4.0 em português, inglês e espanhol

O Programa Justiça 4.0 ganhou novas cartilhas informativas. Elaborados para apresentar o Programa em agendas nacionais e internacionais, os materiais explicam as ações e os impactos dos projetos desenvolvidos no âmbito do PJ4.0 e estão disponíveis em três idiomas: português, inglês e espanhol. A cartilha conta com uma introdução do

Imagem com foco em mãos masculina usando celular.

Liderança 4.0: abertas as inscrições para curso sobre competências gerenciais

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em continuidade aos esforços para integrar a tecnologia no sistema Judiciário, promove o curso “Liderança 4.0: Competências Gerenciais na era da Inteligência Artificial”, que ocorrerá de 29 de abril a 28 de junho, modalidade assíncrona com tutoria. Inscreva-se até 26/4 O curso é voltado

LIODS da Justiça do Trabalho da 8ª Região intermedeia debates sobre IA

Servidores dos gabinetes dos desembargadores Luis José de Jesus Ribeiro e Walter Roberto Paro deram o pontapé inicial para o debate sobre o uso de ferramentas de inteligência artificial (IA) na realização de atividades no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP) na última semana. A reunião

Ilustração mostra o perfil de uma cabeça humana, com o cérebero iliminado e interligado por diversos pontos coloridos.

Inteligência Artificial: é possível o uso para aprimorar a segurança institucional

A utilização da Inteligência Artificial (IA) na área de segurança institucional nos tribunais pode contribuir para otimizar a qualidade da vigilância, contribuindo com a segurança dos trabalhadores do Poder Judiciário. Em artigo publicado no volume 7º da Revista Eletrônica do Conselho Nacional de Justiça – e-Revista CNJ, o agente da