Núcleos de Justiça 4.0

o declínio da territorialidade e os novos horizontes da especialização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54829/revistacnj.v6i2.387

Palavras-chave:

Processo civil, Justiça Digital, Núcleos de Jusitça 4.0, Territorialidade, Especialização

Resumo

Este artigo examina a criação dos Núcleos de Justiça 4.0 e a forma como eles podem transformar a organização do Poder Judiciário. Por meio da análise dedutiva de conceitos jurídicos, textos normativos e experiências práticas, são estudados os papéis da territorialidade e da especialização no acesso à Justiça para, ao final, concluir que a justiça digital pode aprimorar a eficiência e a qualidade da prestação jurisdicional com enfoque na segunda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio dos Santos Rodrigues, UERJ

Procurador do Estado do Rio de Janeiro. Professor Associado de Direito Processual Civil da Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Pós-Doutor pela Universidade de Coimbra/Portugal. Mestre em Direito Público e Doutor em Direito Processual pela UERJ. Advogado. Master of Laws pela King’s College London. Professor de cursos de pós-graduação em Direito da FGV e de instituições pelo Brasil. Membro da International Association of Procedural Law, do Instituto Ibero-Americano de Direito Processual e do Instituto Brasileiro de Direito Processual. Autor de livros e artigos jurídicos.

Caio Watkins, UERJ

Juiz Federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Mestrando em Direito Processual pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialista em Direito Federal pelo Centro Universitário Internacional em parceria com a Escola da Magistratura Federal do Paraná.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

DOS SANTOS RODRIGUES, Marco Antonio; WATKINS, Caio. Núcleos de Justiça 4.0: o declínio da territorialidade e os novos horizontes da especialização. Revista CNJ, Brasília, v. 6, n. 2, p. 107–116, 2022. DOI: 10.54829/revistacnj.v6i2.387. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/ojs/revista-cnj/article/view/387. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos