Portuguese PT English EN Spanish ES
Tribunal Superior do Trabalho aprimora sustentabilidade em 2020
Tribunal Superior do Trabalho aprimora sustentabilidade em 2020
Foto: TST

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) alcançou, em 2020, o segundo maior índice de desempenho de sustentabilidade (IDS) da categoria de Tribunais e Conselhos superiores, com o percentual de 60,8%. O dado consta do 5º Balanço Socioambiental do Poder Judiciário, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no fim de junho. Na sua categoria, o TST também registrou o maior crescimento individual, de 11,6 pontos percentuais em relação a 2019 (49,3%), com a maior variação em um ano. Em relação a 2018 (55,8%), a variação foi de 5,1 pontos.

O IDS combina vários indicadores, como consumo de energia, água, telefonia, papel e copos descartáveis. Também leva em conta o número de usuários por veículo, a reciclagem de materiais, a quantidade de impressoras e a participação em ações de qualidade de vida, capacitação ambiental e solidariedade. Quanto mais próximo dos 100%, melhor o resultado.

O Tribunal também foi destaque em indicadores específicos, como a redução no número de impressoras por pessoa (80%) e no gasto com reformas (75%) e foi o tribunal superior com o maior número de ações de qualidade de vida (302) e ações solidárias (42) entre 2015 e 2020. De acordo com o Plano de Logística Socioambiental de 2020 do TST, o órgão encerrou o último ano com uma economia de R$ 9,4 milhões em relação a 2019 em ações diretamente ligadas à economia de folhas de papel, garrafas descartáveis, impressoras e combustível.

Iniciativas

O subcoordenador do Núcleo Socioambiental do TST, Kennedy Lima, explicou que o TST está comprometido com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas e tem pautado suas ações no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ele explica que o desempenho do Tribunal no 5º Balanço é reflexo das diversas ações implementadas desde 2015 e intensificadas em 2019.

Lima destaca a gestão eficiente da destinação de resíduos, o consumo responsável de água e energia elétrica, a diminuição no uso de copos descartáveis e de água mineral engarrafada e a redução de impressões, impressoras, toner, papel e outros materiais de expediente. Um exemplo do resultado das iniciativas do Tribunal é o da energia elétrica por metro quadrado, resultado do consumo consciente e da tecnologia, como a instalação de uma usina fotovoltaica.

Pandemia

Em razão da pandemia da Covid-19, em 2020, a maior parte do corpo funcional do Poder Judiciário atuou em trabalho remoto, o que afetou a série histórica de gasto e consumo dos insumos. Segundo Lima, um dos impactos da pandemia no TST foi a evolução dos serviços on-line, tornando-se mais cômodo para a sociedade e para o corpo funcional, sem a necessidade de deslocamento físico.

Em sua avaliação, essa medida contribui diretamente para a redução de dióxido de carbono na atmosfera. Ele também prevê a continuidade de queda do consumo e dos gastos relativos aos indicadores da sustentabilidade em 2021, em razão do prolongamento do trabalho remoto e das ações de monitoramento desses indicadores.

Fonte: TST

A
Fechar Menu