Portuguese PT English EN Spanish ES
. . . . . .
Mato Grosso tem protocolo para violência contra crianças e adolescentes
Mato Grosso tem protocolo para violência contra crianças e adolescentes
Foto: TJMT

Será lançado em Cuiabá (MT), nesta terça-feira (20/4), às 9h, o “Protocolo Integrado de Atendimento a Crianças e Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência”. Resultado de uma ação conjunta entre a Rede Protege Cuiabá, governo do estado, Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Ministério Público e Defensoria Pública, a padronização do atendimento visa assegurar a aplicação da Lei nº 13.431/2017, que estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítimas ou testemunhas de violência, criando mecanismos para prevenir e coibir a violência.

A principal preocupação das instituições envolvidas é evitar a revitimização de crianças e adolescentes na realização de entrevistas múltiplas pelos mesmos fatos, bem como garantir a observância de cautelas e parâmetros voltados à proteção, antes e durante o atendimento pela rede de proteção e a coleta de prova para persecução penal. A Lei 13.431/2017 tornou obrigatória a oitiva de crianças e adolescentes pelas técnicas de Escuta Especializada e Depoimento Especial. Além disso, prevê a realização de ações articuladas no âmbito da rede de proteção, a exemplo dos procedimentos de entrevista e oitiva pelas técnicas de Escuta Especializada e Depoimento Especial.

O Protocolo Integrado de Atendimento a Crianças e Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência em Mato Grosso está sendo implementado por Ato Conjunto assinado pelo governador do estado, Mauro Mendes; pelo procurador-geral do estado, Francisco de Assis da Silva Lopes; pelo secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre Bustamante dos Santos; pela presidente do TJMT, desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas; pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira; e pelo defensor público-geral, Clodoaldo Aparecido Gonçalves de Queiroz.

Mais informações sobre o evento podem ser solicitadas pelo e-mail redeprotegecuiaba@gmail.com

Fonte: TJMT

A
Fechar Menu