Portuguese PT English EN Spanish ES
Inscrições abertas para cursos de Ciência de Dados aplicada ao Judiciário
Inscrições abertas para cursos de Ciência de Dados aplicada ao Judiciário
CNJ realizou webinário de lançamento do Curso de Ciência de Dados para o Poder Judiciário. Foto: CNJ

Para tirar o maior proveito do aumento no número de plataformas tecnológicas disponíveis para geração e armazenamento de dados, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), lançou na terça-feira (30/11) uma série de cursos em Ciência de Dados para o Judiciário. As pessoas interessadas poderão estudar, gratuitamente e de forma on-line, sobre ferramentas como Python, machine learning e dashboards com o Power BI. As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas.

São oferecidos os seguintes cursos: Fundamentos de Estatística para Ciência de Dados (40 horas), Excel para Análise de Dados (40 horas), R para Análise de Dados (40 horas), Python para Análise de Dados (40 horas), Dashboards com o Power BI (16 horas), Dashboards e relatórios dinâmicos com o R (40 horas), Mineração de Textos (16 horas), e Aprendizado de máquina (machine learning) (40 horas). “Esse projeto é um salto significativo para o futuro e propiciará que o Judiciário entre de vez na era da tecnologia”, afirmou o secretário especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica do CNJ, Marcus Lívio Gomes, durante webinário de lançamento do curso.

A iniciativa integra o Programa Justiça 4.0, fruto de parceria entre o CNJ e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para desenvolver ações que auxiliem os tribunais no aprimoramento e na automatização dos registros processuais primários, e na consolidação, implantação, tutoria, treinamento, higienização de suas bases de dados. De acordo com a diretora do Departamento de Pesquisas Judiciais do CNJ, Gabriela Moreira de Azevedo, o treinamento vai capacitar os magistrados e servidores em ciências de dados, do básico ao avançado. “Isso permitirá que todos os tribunais tenham equipes técnicas capacitadas para analisar seus próprios dados e realizar diagnósticos locais, pois o CNJ não tem como ter essa capilaridade.”

“Estamos lidando com uma montanha de dados e informações e a ideia do CNJ foi de trazer ferramentas e capacitação para que os tribunais consigam, cada vez mais, trabalhar de maneira mais eficiente”, acrescentou a coordenadora do Departamento e juíza auxiliar da Presidência do CNJ Ana Aguiar.

Vagas limitadas

Cada turma será composta por 250 alunos. A mesma pessoa poderá cursar no máximo dois cursos, sendo um deles “Fundamentos de Estatística”, que fornece a base teórica para todos os cursos. Na inscrição, deve ser assinalada a ordem de prioridade. O CNJ irá distribuir as vagas considerando o tamanho do quadro funcional de cada órgão, além de outros critérios objetivos.

As aulas começarão no dia 31 de janeiro e cada curso terá 10 encontros, com duração média de três meses. A exceção é o de Fundamento de Estatísticas, que durará seis meses, com encontros quinzenais. As aulas serão preferencialmente pela manhã, gravadas e haverá plantão ao vivo para tirar dúvidas com docentes da UFPR.

Após a conclusão da série, haverá uma migração do conteúdo para a plataforma do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário (CEAJud). Dessa forma, no caso de ausência de vagas, as pessoas interessadas poderão cursar posteriormente sem tutor e sem aulas síncronas.

Inscreva-se no curso

Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

Assista ao webinário no canal do CNJ no YouTube
Baixe a apresentação utilizada no encontro

Macrodesafio - Aprimoramento da gestão de pessoas

Macrodesafio - Fortalecimento da estratégia nacional de TIC e de proteção de dados

A
Fechar Menu