Portuguese PT English EN Spanish ES
Escritório Social do Amapá completa um ano de implantação
Escritório Social do Amapá completa um ano de implantação
Escritório Social em Macapá completa um ano de atendimentos. Foto: TJAP
Compartilhe

O Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) celebra, nesta sexta-feira (28/1), um ano de implantação do Escritório Social em Macapá (AP). O projeto de reinserção social do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vem transformando a rotina daquelas pessoas que já cumpriram ou que estão em fase final do cumprimento da pena. A iniciativa faz parte do programa Fazendo Justiça.

O Escritório Social foi concretizado pelo TJAP por meio da Vara de Execuções Penais, em articulação com o Executivo e Defensoria Pública do estado. O projeto garante o respeito à dignidade humana, essencial para o exercício da cidadania, principalmente das pessoas que deixam o sistema penal com o sonho de recomeçar, retomar suas atividades, reconstruir sua história e fazer diferente as linhas do seu futuro.

A estrutura permite o acolhimento e acompanhamento de pessoas egressas do sistema carcerário por meio de equipes e redes de serviços de proteção e inclusão social. E ainda conta com a parceria do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá no processo de preparação das pessoas privadas para o exercício de uma liberdade cidadã.

Mesmo com os impactos da pandemia da Covid-19, os trabalhos não pararam e o saldo é animador. O fluxo de atendimento neste primeiro ano de atuação incluiu demandas como emissão de documentação civil; demanda emergencial de alimentação, com doação de cestas básicas, em parceria com a Cáritas Diocesana de Macapá, a Legião da Boa Vontade e o Tribunal Regional Eleitoral; e 83 encaminhamentos de inserções produtivas junto ao Conselho da Comunidade.

Também foram atendidas demandas de educação formal. São elas: solicitação de documentação escolar, matrículas em creche divulgação aos atendidos e familiares sobre a chamada escolar, disponibilização do espaço do escritório para efetivação de matrícula como polo específico para egressos e familiares com dificuldade ao acesso da internet e acompanhamento pedagógico junto às escolas e atendidos para o bom desempenho e conclusão do ano letivo. Outro serviço prestado foi o de realização de pré-inscrições em cursos de capacitação pela Casa do Albergado, sendo previstas 200 pré-inscrições, em 14 cursos, nos eixos de alimentação, refrigeração e construção civil.

A equipe do Escritório ainda atende e realiza encaminhamentos jurídicos e psicossociopedagógicos, além de realizar visitas domiciliares, entrega de cestas básicas, acompanhamentos, buscas ativas, formações, entre outras. “Nosso objetivo é o alcance da liberdade cidadã, e o que isto significa? É quando alguém tem a sua garantia de direitos. Queremos proporcionar isso ao público egresso do Sistema Prisional, que eles acessem todos esses direitos e garantias institucionais. Neste último ano, enfatizo em nome da equipe do Escritório um agradecimento para a nossa rede de parceiros que colaboram e contribuem para a efetividade do desenvolvimentos dos trabalhos”, ressalta a gerente, Anne Sanches.

O Escritório Social tem como metas para 2022 a informatização do serviço; a formalização de parcerias com as instituições que promovem cursos de qualificação, numa perspectiva de encaminhamento dos qualificados para o mercado de trabalho; articulação com a equipe do programa Fazendo Justiça para elaboração dos regimentos internos dos escritórios sociais; formalização dos procedimentos internos operacionais padrão; além de aumentar o quantitativo de recursos humanos e implementar o grupo operativo dos atendidos.

Fonte: TJAP

Macrodesafio - Aprimoramento da gestão da Justiça criminal

A
Fechar Menu