.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Poder Judiciário. Crédito: Divulgação/CGJ-MT
Poder Judiciário. Crédito: Divulgação/CGJ-MT.

A produtividade dos magistrados nos Juizados Especiais de Mato Grosso chegou a 100 mil atos judiciais na terça-feira (25/10), 37 dias úteis após o lançamento do ranking pela Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT). Ao todo, foram proferidos 101.987 atos entre despachos, decisões interlocutórias, sentenças com e sem resolução de mérito, audiências de instrução realizadas e acordos homologados. Desde o dia 1º de setembro, cerca de 110 juízes que atuaram nesse período nos 93 juizados fizeram 36.679 despachos e 34.306 sentenças.

O número foi muito bem recebido pela corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maria Erotides Kneip, que acredita ser efeito da iniciativa da Corregedoria. “Com o ranking, além de darmos transparência às atividades realizadas, ao nosso trabalho, tínhamos a intenção de estimular os magistrados por meio de uma competição sadia. E certamente isso contribuiu muito para chegarmos a esse resultado em tão pouco tempo. Vamos continuar a medir e queremos que esse número cresça ainda mais”, enfatizou.

No fim de setembro, os cinco primeiros juízes do ranking eram, respectivamente, João Bosco Soares da Silva (Juizado Especial Cível do Cristo Rei), Emerson Luis Pereira Cajango (1º e 2º Juizado Especial Cível de Cuiabá), Lúcia Peruffo (1º Juizado Especial Cível e Juizado Especial Criminal Unificado da capital), Fernando da Fonsêca Melo (Juizado Especial Cível de Barra do Garças) e Carlos Roberto Barros de Campos (Juizado Especial Cível do Jardim Glória e Juizado Especial Cível do Cristo Rei).

Atualmente, os primeiros são, em ordem, João Bosco Soares da Silva, Lúcia Peruffo, Emerson Luis Pereira Cajango, Edson Dias Reis (2º, 3º, 5º e 6º Juizado Especial Cível de Cuiabá e Turma Recursal Única) e João Alberto Menna Barreto Duarte (3º e 4º Juizados Especial Cível de Cuiabá). Juntos, até o momento eles foram responsáveis por mais de 30 mil atos. O ranking é uma iniciativa conjunta do Departamento de Apoio aos Juizados Especiais (Daje) e do Departamento de Aprimoramento da Primeira Instância (Dapi). Ele é atualizado diariamente com base nos dados extraídos do Apolo, Processo Judicial Digital (Projudi) e Processo Judicial Eletrônico (PJe).

Fonte: CGJ-MT


Tópicos: acesso à justiça,juizados especiais,Mato Grosso