.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Workshop Desenvolvimento Colaborativo de Modelos de Inteligência Artificial.Foto:G.Dettmar/Agência CNJ
Workshop Desenvolvimento Colaborativo de Modelos de Inteligência Artificial.Foto:G.Dettmar/Agência CNJ

Estão abertas as inscrições para as novas turmas do Workshop de Desenvolvimento Colaborativo de Modelos de Inteligência Artificial (AI) previstas para julho e agosto. O evento destina-se a servidores do Poder Judiciário da área de Tecnologia da Informação. Para participar, basta entrar na página do evento no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e se inscrever em uma das datas disponíveis.

As novas turmas ocorrerão nos dias 3, 17 e 31 de julho; e 14 e 28 de agosto, com oferta de 18 vagas para cada edição. O evento aborda o tema da Inteligência Artificial aplicada ao Processo Judicial Eletrônico (PJe), com uso do Sinapses, projeto desenvolvido pela equipe do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO), que o coordena no Laboratório de Inovação do CNJ. 

Curso

Na terceira edição do treinamento, em 5 de junho, mais de 20 especialistas e magistrados de todo o país receberam treinamento para utilizar a ferramenta Sinapses e mostrar como ela está inserida no Laboratório de Inovação para o Processo Judicial em meio Eletrônico (Inova PJe).

“Estou impressionado em ver que o CNJ está trabalhando com tecnologia de ponta e muito feliz com a oportunidade de estar aqui aprendendo junto”, afirmou o Gleydson Vilanova Coelho, da equipe de tecnologia do Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI), que veio à Brasília exclusivamente para participar do curso ao longo de um dia inteiro. “Volto para o meu tribunal com o objetivo de sensibilizar a todos para a necessidade de termos na equipe um analista de dados e em especialista em inteligência artificial para convergirmos os nossos projetos aos que estão sendo apresentados no curso”, afirmou.

O Sinapses é uma ferramenta de IA que tem a finalidade de auxiliar no desenvolvimento de modelos de inteligência artificial para aprimorar o serviço prestado pelo Poder Judiciário. Desde a extração de dados ao treinamento e aplicação dos modelos de IA, o Sinapses disponibiliza serviços que otimizam a realização de tarefas repetitivas (automação), predições, agilização do andamento processual, além de conferir maior segurança.

“Os tribunais já estão trabalhando em iniciativas soltas e a ideia do workshop é unir experiências, permitir o intercâmbio de conhecimento. A procura pelo curso tem sido excelente”, contou Alcides Fernando Campo, um dos desenvolvedores do Sinapses e palestrante do workshop. A quarta turma chega ao CNJ nesta quarta-feira (19/6).

Lenir Camimura Herculano e Paula Andrade
Agência CNJ de Notícias

 


Tópicos: Inteligência artificial ,Processo Judicial Eletrônico (PJe)