Últimas páginas visitadas

Corregedoria Nacional de Justiça acionou entidades representativas dos magistrados para tratar sobre a segurança dos magistrados brasileiros. FOTO: Agência CNJ
Corregedoria Nacional de Justiça acionou entidades representativas dos magistrados para tratar sobre a segurança dos magistrados brasileiros. FOTO: Agência CNJ

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça, lamentou, na tarde de hoje (1º/10), o atentado contra o juiz Carlos Eduardo de Moraes e Silva, da Vara Única de Vila Rica, em Mato Grosso, e cobrou informações acerca das providências adotadas pelo presidente do Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJ-MT), desembargador Rui Ramos, nesse caso específico, bem como quanto à situação geral da segurança dos magistrados estaduais.

Martins também manteve entendimento com o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), juiz Jayme de Oliveira Neto, e com o presidente da Associação Mato-Grossense de Magistrados (AMAM), juiz José Arimatéia Neves Costa, para que seja oferecida ao magistrado toda a segurança necessária para o exercício de sua atividade de judicatura.

Segundo notícias, o juiz Carlos Eduardo foi baleado no ombro esquerdo, dentro do Fórum de Vila Rica, por um réu em uma ação por homicídio, que tentava pressionar o magistrado para que o júri popular fosse marcado com rapidez.

O corregedor nacional de Justiça encaminhou um ofício ao desembargador Rui Ramos solicitando que todas as situações análogas e as providências que estão sendo adotadas sejam informadas à Corregedoria Nacional de Justiça.

Corregedoria Nacional de Justiça


Tópicos: corregedoria nacional de justiça

SEPN Quadra 514 norte, lote 9, Bloco D CEP: 70760-544 

Telefones - 55 61 2326-5000 Horário de atendimento ao público: das 12h às 19h, de segunda a sexta-feira, exceto nos feriados.

W3C Válido