.
Início do cabeçalho
.

Início do conteúdo

Início do conteúdo
Valtércio Oliveira assina termo de posse na presença de Cármen Lúcia. FOTO: Luiz Silveira/Agência CNJ
Valtércio Oliveira assina termo de posse na presença de Cármen Lúcia. FOTO: Luiz Silveira/Agência CNJ

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), empossou o desembargador do Tribunal do Trabalho da 5ª Região (Bahia), Valtércio Ronaldo de Oliveira, como conselheiro do CNJ.

“Em nome do CNJ eu desejo as boas-vindas ao novo conselheiro, que muito contribuirá para aperfeiçoamento dessa instituição na forma que esperam todos os brasileiros”, disse a ministra Cármen Lúcia, ao final da 264ª Sessão Ordinária desta terça-feira (12/12). 

Valtércio Ronaldo de Oliveira  foi nomeado no CNJ por indicação do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para ocupar a vaga da Justiça do Trabalho, destinada a magistrados de segundo grau, durante o biênio 2017/2019. 

Entre as autoridades presentes na posse, estavam a desembargadora Maria de Lourdes Linhares Lima de Oliveira, presidente do TRT da 5ª Região, a desembargadora Gardênia Pereira Duarte, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Guilherme Guimarães Feliciano e a juíza Angélica de Mello Ferreira, presidente da Anamatra da 5ª Região. 

Com 30 anos de atividade na magistratura, o desembargador Valtércio Ronaldo de Oliveira já presidiu o Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) e foi presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da 5ª Região.  

 

files/conteudo/imagem/2017/12/5d803a900e9a1eebf3f9a817e566d745.jpg

João Otávio Noronha, Marcio Schiefler Fontes, Valtércio Ronaldo de Oliveira e Cármen Lúcia. FOTO: G. Dettmar/Agência CNJ.

O CNJ tem 15 membros: nove são do Poder Judiciário, indicados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Os outros seis integrantes são advogados, procuradores e pessoas de notório saber jurídico, indicados pela OAB, pela Procuradoria Geral da República (PGR), pelo Senado e pela Câmara dos Deputados.

Agência CNJ de Notícias

 


Tópicos: Posse,novos conselheiros ,ministra Cármen Lúcia